Defensoria quer recolhimento de livro polêmico

31/05/2011

A Defensoria Pública da União no DF entrou com ação na Justiça Federal para que sejam recolhidos das escolas públicas os 485 mil exemplares do livro Por uma Vida Melhor

Rafael Moraes Moura / BRASÍLIA

A Defensoria Pública da União no Distrito Federal entrou com ação na Justiça Federal para que sejam recolhidos das escolas públicas os 485 mil exemplares do livro Por uma Vida Melhor. A obra defende que o uso oral da língua popular - ainda que com seus erros gramaticais - é válido para estabelecer comunicação.

"Você pode estar se perguntando: "Mas eu posso falar os livro?" Claro que pode", explica um trecho. O livro lembra que, caso deixem de lado a norma culta, os alunos podem sofrer "preconceito linguístico".

Para o defensor público federal Ricardo Salviano, questões de sociolinguística não devem ser discutidas na sala de aula. "Escola é lugar de ensinar a norma culta. Se você diz que falar errado é aceitável, está prestando um desserviço à sociedade."

Uma comissão formada por professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) aprovou Por uma Vida Melhor. Ao todo, 4.236 escolas escolheram o livro, com base em informações que constavam do Guia do Livro Didático.
Saiba Mais

Haddad chama de 'injustiça crassa' críticas a livro didático do MEC

Livro do MEC distribuído a escolas aceitaria erros de concordância; regra geral, o livro precisa ser lido para ser criticado, disse Haddad

Robson Bonin

O ministro da Educação, Fernando Haddad, classificou de “injustiça crassa” as críticas realizadas por diferentes setores da sociedade a um livro didático distribuído pelo governo nas escolas que permitiria erros de concordância. Durante reunião na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado na manhã desta terça-feira (31), ele voltou a afirmar que a maioria das pessoas que atacaram o livro sequer tinham lido o objeto da polêmica.

"Acompanhei com muita atenção o debate em torno dessa questão na imprensa, saúdo o debate que foi feito, mas confesso que me assustei um pouco no início da discussão. E me assustei por uma razão muito simples: a maioria das pessoas que se manifestaram inicialmente declararam, posteriormente, que não haviam lido o livro objeto da polêmica”, afirmou Haddad.

O Ministério da Educação (MEC) distribuiu a 484.195 alunos de 4.236 escolas o livro "Por uma Vida Melhor", que permitiria erros de concordância, pelo Programa Nacional do Livro Didático para a Educação de Jovens e Adultos (PNLD-EJA). Nele, os autores afirmam que o uso da língua popular - ainda que com seus erros gramaticais - é válido, permitindo frases como "nós pega o peixe" ou "os menino pega o peixe".
Leia Mais

Truques para desvendar os números

30/05/2011

Acadêmicos da UFSM ensinam mágicas a professores para que ensino de matemática fique mais fácil

Alunos de escolas municipais de Santa Maria aprenderão os conteúdos de matemática de maneira mais fácil e lúdica. O projeto de extensão Matemágica na Sala de Aula, desenvolvido por acadêmicos do curso de Matemática da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), pretende reduzir as dificuldades de entendimento da disciplina.

Aatividade foi promovida em parceria pela Secretaria Municipal de Educação com o Programa Municipal de Educação Fiscal. Na última semana, professores do Ensino Fundamental aprenderam a técnica. Na quarta-feira, o evento voltado à busca do raciocínio lógico e da memorização foi dedicado a quem ensina nas séries iniciais e, na sexta-feira, aos professores de 6° ao 9° ano.

A professora de matemática e ciências Janete Terezinha Martins Juliani, que leciona na Escola Diácono João Luiz Pozzobon, ficou encantada com a novidade. Contou que seus alunos têm dificuldades na disciplina e o trabalho com mágicas pode ser uma maneira de chamar a atenção para os conteúdos.
Leia

Inclusão ou separação?

Independente de ouvir ou não, toda criança ganha com o convívio de um aluno surdo; a presença é vista como algo diferente, mas normal

Independente de ouvir ou não, toda criança ganha com o convívio de um aluno surdo. A presença é vista como algo diferente, mas normal. Por isso, talvez, não se veja crianças com problema auditivo sendo vítimas de bulliyng entre a garotada.

A observação é do psicólogo Sérgio Otávio Bassetti, da Fundação Catarinense de Educação Especial. –Nós não aceitamos escolas exclusivas para surdos. O mundo é visual e sonoro, achar que estar só com seus iguais é um equívoco, já que é preciso educar a criança para uma sociedade diversificada – defende o psicólogo.

A posição do psicólogo é uma análise sobre o movimento da Federação Nacional de Integração dos Surdos (Feneis), que reuniu cerca de 500 pessoas em uma manifestação na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, pedindo a criação de escolas bilíngues específicas para surdos. Desde a Constituição de 1988, o Brasil adota a política de integração em escolas regulares.
Leia

Dilma pediu para refazer kits por achar que não combatiam homofobia, diz Haddad

27/05/2011

O ministro da Educação explicou que os kits de combate à homofobia que seriam distribuídos às escolas públicas deverão ser refeitos porque a presidenta Dilma Rousseff não gostou do seu conteúdo

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O ministro da Educação, Fernando Haddad, explicou hoje (26) que os kits de combate à homofobia que seriam distribuídos às escolas públicas de ensino médio deverão ser refeitos porque a presidenta Dilma Rousseff não gostou do seu conteúdo. Eles serão submetidos à comissão de publicações do Ministério da Educação (MEC) para que seja produzida uma nota técnica apontando quais mudanças deverão ser feitas.
“A presidenta entendeu que esse material, na opinião dela, não combate a homofobia. Ela entende que ele não foi desenhado de maneira apropriada para promover aquilo que ele pretende que é o combate à violência, a humilhação e a evasão desse público da escola”, afirmou o ministro.
Leia Mais

Governo dá bicicleta para aluno ir à escola

Presidente Dilma anuncia a doação de 30 mil bicicletas e capacetes para 81 municípios em um projeto-piloto 

 SÍLVIA FREIRE

ENVIADA ESPECIAL A UBATUBA (SP)
Crianças maiores de seis anos, de todas as regiões do país, poderão ganhar nos próximos meses uma bicicleta para ir à escola.
O foco do projeto do governo federal são estudantes que moram de 3 km a 15 km de onde estudam ou em locais de acesso precário, onde veículos motorizados -como o ônibus escolar- não conseguem chegar.
Nesses casos, os alunos irão de bicicleta até o ponto de ônibus mais próximo. Para participar do programa, é preciso que a criança tenha autorização dos pais.
A presidente Dilma Rousseff anunciou ontem a doação de 30 mil bicicletas escolares e capacetes para 81 municípios em projeto-piloto.
Até o fim do ano, a ideia é chegar a 100 mil bicicletas. A iniciativa integra o projeto Caminho da Escola, criado para auxiliar os municípios na renovação da frota de veículos escolares.
Leia na Íntegra

Enem oferece oportunidade para adulto concluir o ensino médio

26/05/2011

A oportunidade de conseguir o certificado de conclusão do ensino médio, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), é oferecida a quem não teve a oportunidade de concluir o curso na forma tradicional. Portanto, cidadãos com mais de 18 anos podem fazer o exame também para obter a certificação nessa etapa do ensino. Para isso, devem indicar, no momento da inscrição, que farão as provas especificamente para conseguir o certificado.

Para fazer o Enem com esse objetivo não é necessário ter frequentado escola regular ou a educação de jovens e adultos. Basta ter 18 anos completos, como determina a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional — Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. O candidato à certificação fará as mesmas provas dos estudantes que buscam vaga na educação superior pública.

Desde 2009, as médias do Enem podem ser usadas para obter o certificado de conclusão da escolarização básica. Desde então, foi extinta a aplicação do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) no Brasil para o nível médio.

A pontuação exigida para o candidato obter o documento será definida pelas instituições certificadoras — secretarias estaduais de educação, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e centros federais de educação tecnológica (Cefets) — que firmaram acordo de cooperação técnica com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Estão credenciadas mais de 350 instituições, com unidades em todas as 27 unidades da Federação.

A escolha da instituição certificadora, a critério do candidato, deve ser feita no momento da inscrição no Enem, pela internet. A indicação independe do local de residência. Para concluir a certificação, as instituições que firmaram o acordo de cooperação técnica devem publicar, no Diário Oficial da União, ou no do estado em que têm sede, a relação com os nomes e dados dos candidatos aprovados.

Em 2010, cerca de 110 mil pessoas com mais de 18 anos concluíram o ensino médio ao fazer o Enem.

Assessoria de Imprensa do Inep

Investir em Educação traz benefício à economia, diz Ipea

O gerente de Pesquisa da Diretoria de Estudos Sociais do Ipea, Jorge Abrahão de Castro, disse há pouco que o investimento em Educação reverte-se em melhorias na economia e na distribuição de renda

O gerente de Pesquisa da Diretoria de Estudos Sociais do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Jorge Abrahão de Castro, disse há pouco que o investimento em educação reverte-se em melhorias na economia e na distribuição de renda. “Essa é uma área central para o processo de desenvolvimento de um País”, disse.
Segundo ele, entre 2005 e 2009, houve avanços no setor. A proporção do PIB investido na educação aumentou e a educação básica passou a ocupar uma fatia maior desse investimento – fatia antes ocupada pelo ensino superior. “Apesar dos avanços, ainda há muita desigualdade de escolaridade entre camadas sociais de rendas diferentes, além de observarmos muitas desigualdades regionais”, alertou.
Jorge Abrahão participa de audiência pública sobre as políticas de financiamento da educação, que começou há pouco. O encontro é promovido pela comissão especialdestinada a analisar o Plano Nacional de Educação (PNE – PL 8035/10), do Executivo, que define as metas do setor para os próximos dez anos.
Leia

Inep coleta dados de todas as escolas do Brasil

Começa hoje a coleta dos dados que compõem o Censo Escolar da Educação Básica de 2011

Começa hoje a coleta dos dados que compõem o Censo Escolar da Educação Básica de 2011. Esses dados servirão de base para todas as políticas do Ministério da Educação voltadas a essa etapa de ensino – como distribuição de livro didático, merenda escolar, transporte – além de serem determinantes para calcular os recursos a serem repassados a estados e municípios por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica – Fundeb.
Neste ano, os resultados do Censo terão uma função a mais: serão a base referencial para aplicação da Prova Brasil, que terá todo seu plano logístico bem como a impressão dos dados de identificação do aluno na capa da prova definidos pela relação de alunos e turmas de 4ª e 8ª série (para escolas cujo ensino fundamental é ainda de oito anos) e 5º e 9º ano (para escolas que já adotaram ensino fundamental de nove anos), devidamente informados ao Censo Escolar 2011.
Leia Mais

Entidades criticam ''retrocesso'' do governo

Entidades que defendem os direitos dos homossexuais reagiram com 'perplexidade', 'consternação' e 'indignação' à decisão do governo de suspender a distribuição do kit contra a homofobia nas escolas

Entidades que defendem os direitos dos homossexuais reagiram com "perplexidade", "consternação" e "indignação" à decisão do governo de suspender a distribuição de vídeos contra a homofobia nas escolas.
Em nota, a ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), que reúne 237 organizações, e as associações de lésbicas, transexuais e travestis dizem que a ação macula a imagem internacional do país sobre direitos humanos e fere o Estado laico.
Em referência velada ao fato de a decisão do governo ser uma reação à possível convocação do ministro Antonio Palocci (Casa Civil) para depor no Congresso sobre a evolução de seu patrimônio e negócios de sua empresa, o documento diz ainda que os direitos humanos não podem ser "moeda de troca" nas negociações políticas.
O texto também critica a ascendência da bancada religiosa sobre o governo. "Um princípio básico do Estado republicano está sendo ameaçado pela chantagem praticada hoje contra o governo federal pela bancada religiosa fundamentalista e seus apoiadores no Congresso Nacional", diz o texto.
Para Julio Moreira, do Grupo Arco-Íris, a retirada deveria ser precedida de maior debate. "É um tremendo retrocesso para as políticas públicas o projeto ser usado como moeda de troca com setores mais conservadores", diz.
A entidade planeja um protesto para o fim de semana no posto 9, em Ipanema, no Rio.
A socióloga Miriam Abramovay, pesquisadora da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais também viu como um retrocesso o recuo do governo e afirma ser um erro pensar que vídeos podem incentivar jovens a se tornarem homossexuais.

(ANGELA PINHO e RICARDO GALLO)
Fonte: Folha de São Paulo (SP)

MEC realiza a Prova Brasil em novembro

25/05/2011

A prova oficial será aplicada a todos os alunos das redes públicas, que estiverem matriculados no 5º e 9º ano, em escolas urbanas e rurais com, no mínimo, 20 alunos na turma avaliada

A Prova Brasil de 2011, que será realizada em novembro, deve envolver, neste ano, cerca de 5,2 milhões de estudantes, sendo 2,6 milhões matriculados no 5 ano; e 2,5 milhões, no 9 ano do Ensino Fundamental.

A prova oficial será aplicada a todos os alunos das redes públicas, que estiverem matriculados em 5 e 9 ano, em escolas urbanas e rurais com, no mínimo, 20 alunos na turma avaliada.

Neste ano, também serão aplicadas as provas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) - avaliação por amostragem de alunos do 5 e do 9 ano do Ensino Fundamental; e do 3 ano do Ensino Médio, público e privado.

Os desempenhos dos alunos na Prova Brasil e no Saeb compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) por escola, por município e, ainda, em nível nacional.

Conforme a coordenadora do Ensino Fundamental da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Edna Martins Borges, os educadores que trabalham em 183,5 mil turmas do 5 e do 9 ano do Ensino Fundamental público já podem aplicar a seus alunos os exames simulados da Prova Brasil.

Esses testes permitem verificar desempenhos escolares em Português e Matemática. O número de testes, o tempo para responder e o tempo para transferir as respostas para o cartão são os mesmos previstos para a Prova Brasil.

EXAMES
- 5,2 milhões de alunos do 5 e do 9 ano do Ensino Fundamental realizarão a Prova Brasil.

- Estudantes do 3 ano do Ensino Médio irão participar do Sistema Nacional de Avaliação daEducação Básica (Saeb).

- O resultado dos exames compõe o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
Fonte: Correio do Povo (RS)

Você conhece as metas para a Educação do Brasil?

O novo Plano Nacional de Educação prevê 20 metas para melhorar o ensino até 2020

Após ter seu discurso com críticas à situação da educação no país, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, assistido por mais de 1 milhão de pessoas na internet, a professora Amanda Gurgel organiza uma mobilização nas ruas por um maior investimento no ensino.

Segundo a professora, é preciso um percentual mínimo de 10% do PIB (Produto Interno Bruto) para que as escolas do Brasil tenham melhorias efetivas e, os professores, a valorização necessária para que essa mudança aconteça.

Pelo Twitter, Amanda convida educadores de todo o Brasil a participar da campanha que reivindica educação de qualidade para todos os brasileiros.

No entanto, a mais polêmica das 20 metas apresentadas pelo MEC (Ministério da Educação) para o novo PNE (Plano Nacional de Educação) é justamente a que se refere a esse percentual, a vigésima e última meta prevê a ampliação progressiva do investimento público em ensino.

O MEC pretende que o gasto por aluno em escola pública chegue a R$ 3.763,93 anuais, ou, R$ 220 bilhões, o que representa 7% do PIB. O CNE (Conselho Nacional de Educação) quer propor emendas ao plano para que esse percentual seja elevado a 10% - percentual defendido pela professora Amanda Gurgel.
Porém, além dessa meta, há mais 19 que podem ser aprovadas ainda neste ano para que sejam colocadas em prática nos próximos dez anos.
Fonte: R7

Inscrições estão abertas e vão até 10 de junho; provas em 22 e 23 de outubro

24/05/2011

Estão abertas, a partir desta segunda-feira, 23, até 10 de junho, as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011, que terá provas nos dias 22 e 23 de outubro. As inscrições devem ser feitas pela internet.

A taxa de inscrição, de R$ 35 deve ser paga até 13 de junho, no Banco do Brasil. Estão isentos os estudantes matriculados e cursando o último ano do ensino médio (concluintes) em instituições públicas de ensino. Também pode pedir a isenção o estudante integrante de família de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade financeira, conforme o Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela realização do Enem, adverte sobre a importância de o estudante, ao fazer a inscrição, prestar informações verdadeiras e exatas, para não correr o risco tê-la cancelada. Ao ter acesso à página de inscrição no Enem, o estudante deve informar os números do cadastro de pessoa física (CPF) e do documento de identidade (RG). Após informar esses dados, verá uma tela com dados pessoais — nome completo, nome da mãe e sexo —, resgatados diretamente do banco de dados da Receita Federal. Se houver informação incorreta, o candidato deve pedir a correção à Receita. Após confirmar os dados, é necessário preencher outras informações pessoais, como cor e raça e endereço, todas obrigatórias. Dados como telefone e e-mail são opcionais, mas serão necessários em caso de perda da senha de acompanhamento. Todos os dados informados devem ser do candidato, mesmo que seja menor de idade.
Leia Mais

Prorrogado prazo de adesão de instituições até sexta-feira, 27

As instituições de educação superior que pretendem participar do processo seletivo do segundo semestre do Programa Universidade para Todos (ProUni) têm agora até o dia 27 próximo para firmar o termo de adesão. O prazo anterior seria encerrado nesta sexta-feira, 20.

Os prazos para eventuais retificações das informações do termo de adesão ou do termo aditivo também foram prorrogados. As correções devem ser feitas entre os dias 1º e 7 de junho.

Criado em 2005, o ProUni oferece bolsas de estudos integrais e parciais (50% da mensalidade) a estudantes em instituições particulares de educação superior. Desde o início do programa, 863 mil bolsas foram concedidas a estudantes com renda familiar de até três salários mínimos.

A prorrogação dos prazos de adesão consta da Portaria nº 1.127, da Secretaria de Educação Superior (Sesu), publicada nesta sexta-feira, 20, no Diário Oficial da União, seção 1, página 17.

A emissão dos termos de adesão deve ser feita na página eletrônica do ProUni.

Assessoria de Imprensa da Sesu

Em seis horas, 300 mil se inscrevem para o Enem

Foram cerca de 470 inscrições por minuto, segundo o MEC; prazo termina em 10 de junho 

 Ontem, no primeiro dia de inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, foram registradas uma média de 470 inscritos por minuto. Segundo balanço do Ministério da Educação, foram 300 mil inscritos em seis horas.

Neste ano, o exame ocorrerá nos dias 22 e 23 de outubro e os interessados têm até as 23h59 do dia 10 de junho para fazer a inscrição no site do Enem.
Desde 2009, o MEC deu início a um projeto de substituição dos vestibulares tradicionais pelo Enem. A partir do resultado da prova, os alunos se inscrevem no Sistema de Seleção Unificada (SISU) e podem pleitear vagas em instituições públicas de ensino superior de todo o País.

No ano passado, foram ofertadas 83 mil vagas em 83 instituições - entre elas, 39 universidades federais.
Ontem, a comissão de vestibular da Unicamp anunciou que o uso do Enem será opcional para os candidatos e só será considerado quando melhorar a nota da prova. O exame compõe até 20% na nota obtida na primeira fase - mas, neste ano, esse processo só ocorrerá no momento de calcular as notas finais dos candidatos, após a segunda fase.
A participação no Enem também é pré-requisito para os estudantes interessados nas bolsas do Programa Universidade para Todos (Prouni). Os benefícios são distribuídos a partir do desempenho do candidato e podem ser integrais ou parciais, dependendo da renda da família.
Inscrição
A taxa é de R$ 35 e só é possível se inscrever pela internet (enem.inep.gov.br). Estudantes que estão concluindo o ensino médio em escola pública ou que declarem ser parte de família de baixa renda não pagam.

O cartão de confirmação será enviado pelo correio. Atenção: durante a inscrição, o aluno vai gerar um login e uma senha, imprescindíveis durante o processo para consulta no site.

Fonte: Todos pela Educação
Leia

Enem 2011 terá selo do Inmetro

Mais de 300 mil já se inscreveram para o exame; site do Inep não apresenta lentidão

RIO - O Inep registrou mais de 300 mil inscritos até o fim da noite de segunda-feira (23) no primeiro dia de inscrições para o Enem, cujas provas acontecem em 22 e 23 de outubro.

Ao contrário dos dois últimos anos, não houve problemas de lentidão e acesso ao site. A presidente do Inep, Malvina Tuttman, anunciou que o exame contará pela primeira vez com o selo do Inmetro, que certificará cada etapa do processo, desde a elaboração das questões das provas até a divulgação dos resultados.
- Mapeamos todos os passos do processo, que contarão com certificação do Inmetro. Destacamos mais de 1.200 itens a serem acompanhados detalhadamente, desde a elaboração do edital.

Ao final do processo, com a divulgação dos resultados, vamos ter 400 mil pessoas trabalhando, incluindo servidores do Inep, Exército, Marinha, Aeronáutica, Correios e Polícia Federal -disse Malvina, que negou a realização de quatro edições por ano, como chegou a ser noticiado mais cedo.
Para evitar problemas de anos anteriores, como o vazamento de provas, erros na impressão dos cadernos de perguntas e divulgação errada dos gabaritos, Malvina criou uma unidade de operações logísticas dentro do Inep, para acompanhar todo o processo, vinculada diretamente à presidência. Segundo ela, serão percorridos mais de 700 mil quilômetros para a distribuição das provas em 1.599 municípios.
Malvina acrescentou que o edital do exame não permite o pedido de revisão de provas, como ela prometera, pois não houve tempo hábil para a marcação da prova em agosto. Segundo ela, se houvesse recursos de candidatos, isso comprometeria o calendário das universidades que usam o Enem como forma de acesso à graduação.

Fonte: Todos pela Educação
Leia

Boa percepção escolar melhora o desempenho

23/05/2011

Diretor de escola de formação de educadores nos EUA defende comunicação e confinaça como pilares do aprendizado

MARIA CRISTINA FRIAS
COLUNISTA DA FOLHA

Quanto melhor a percepção de alunos e professores com relação ao ambiente escolar, melhor seu desempenho acadêmico. Esse é o principal resultado de pesquisas do professor Brian K. Perkins, do Teachers College, da Universidade Columbia, de Nova York, nos EUA, considerado um dos maiores estudiosos do impacto do clima escolar no aprendizado.

Entre as maiores queixas de alunos e profissionais está o Bullying (provocação e intimidação no ambiente escolar). Para ele, o melhor modo de enfrentar o problema é promover fóruns de discussão sobre o tema. Perkins defende também uma política de tolerância zero para agressões.

Para conseguir o envolvimento dos pais com a escola, o especialista sugere que se criem condições para que professores visitem as famílias dos alunos. Perkins, que também dirige o programa Urban Education Leadership, de Columbia, deu palestra sobre o tema a diretores da rede pública estadual de São Paulo, na semana passada, a convite da Fundação Lemann.

Leia Mais

Inscrições para o Enem 2011 começam hoje e podem chegar a 6 milhões

A partir das 10h de hoje (23), estudantes interessados em participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011 podem se inscrever no site do Inep

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil
Brasília – A partir das 10h de hoje (23), estudantes interessados em participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011 podem se inscrever no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). O processo segue até as 23h59 do dia 10 de junho, exclusivamente pela internet.
As provas serão aplicadas nos dias 22 e 23 de outubro. A previsão do Inep é que o número de inscritos chegue a 6 milhões. O valor da taxa é de R$ 35, mas estudantes que estão concluindo o ensino médio em escola pública não pagam.
Em 2009, o MEC deu início a um projeto de substituição dos vestibulares tradicionais pelo Enem como forma de ingresso na universidade. A partir do resultado da prova, os alunos se inscrevem no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e podem pleitear vagas em instituições públicas de ensino superior de todo o país. No ano passado, foram ofertadas 83 mil vagas em 83 instituições, sendo 39 universidades federais.

A participação no Enem também é pré-requisito para os estudantes interessados em uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni). Os benefícios são distribuídos a partir do desempenho do candidato no exame e podem ser integrais ou parciais, dependendo da renda da família. Para participar do programa é necessário ter cursado todo o ensino médio em escola pública ou em colégio privado com bolsa integral.
A matriz com os conteúdos que serão cobrados na prova estão disponíveis em edital publicado na última semana no Diário Oficial da União.

Edição: Graça Adjuto
Fonte: Agência Brasil

Plano de Educação sinaliza as mudanças

20/05/2011

O projeto de lei 8.035/2010, que institui mudanças no Plano Nacional de Educação (PNE), esteve em pauta ontem em Brasília

O projeto de lei 8.035/2010, que institui mudanças no Plano Nacional de Educação (PNE), esteve em pauta ontem em Brasília.

O assunto foi abordado durante encontro, que contou com a presença do ministro da Educação, Fernando Haddad, além de representantes da Câmara dos Deputados, do Senado e do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Na avaliação do ministro, após a análise do Congresso, o PNE ficará melhor, ou seja, com a avaliação, a proposta será aperfeiçoada.

Segundo ele, a legislação sobre a Educação foi praticamente reescrita no país, ao lembrar que, nos últimos anos, foram aprovadas duas emendas constitucionais e mais de 40 leis para o setor.

De acordo com o projeto em tramitação no Legislativo, o PNE terá vigência até o ano de 2020. Uma das novidades é a vinculação direta entre metas qualitativas e recursos financeiros.

O texto estabelece a origem dos recursos necessários para a implementação e também para o cumprimento dos objetivos apontados. A proposta impede, ainda, a instituição de Ensino de realizar propostas sem apresentar a devida dotação orçamentária.

Atualmente, 5% do Produto Interno Bruto (PIB) do país é investido em Educação. Pelo PNE, a expectativa é de que esse índice do PIB seja elevado para 7%; mas setores da área educacional defendem que haja uma melhoria, que atinja 10%.

O projeto que o Executivo remeteu ao Congresso deve sofrer modificações no parlamento antes de se tornar lei. "Até agora, não vi nenhuma proposta para pedir menos recursos", disse Haddad.

Ele também salientou que, no amplo debate que tem ocorrido entre o governo e a sociedade sobre o tema, não tem percebido "dogmatismo partidário".
Fonte: Correio do Povo (RS)

MEC publica portaria oficializando as datas do primeiro Enem de 2012

A partir do ano que vem haverá pelo menos duas edições por ano; exame do primeiro semestre será realizado nos dias 28 e 29 de abril

O Ministério da Educação publicou nesta sexta-feira (20), no "Diário Oficial da União", a portaria que oficializa pelo menos duas edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por ano e confirma as datas das provas do primeiro semestre de 2012 para 28 e 29 de abril.
A portaria é assinada por Malvina Tuttman, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).  O documento diz que "a partir de 2012, o Exame Nacional do Ensino Médio - Enem será implementado, pelo menos, em duas edições por ano.

A cada divulgação de Edital do Enem será publicada Portaria que estabelecerá as datas de realização da edição seguinte. As provas do Enem referentes à primeira edição do ano de 2012 ocorrerão nos dias 28 e 29.04.2012."
O segundo Enem de 2012 ainda não tem data definida. A intenção do MEC era fazer o exame sempre em outubro, mas como no ano que vem haverá eleições municipais no mesmo mês, a data poderá ser fixada em novembro.
Em 2011, o MEC vai promover o Enem para 6 milhões de candidatos nos dias 22 e 23 de outubro. As inscrições serão abertas na próxima segunda-feira (23) e vão até 10 de junho.
Fonte: G1

Prêmio Gestão Escolar 2011 abre inscrições

Projeto inovador de colégio público pode ganhar até R$30 mil

A escola pública no Brasil é criativa. Para estimular ainda mais o desenvolvimento de projetos inovadores, o Prêmio Gestão Escolar já está com inscrições abertas - até 17 de junho.

Podem participar escolas de Educação básica das redes públicas de todo o país. As inscrições podem ser feitas pelo regulamento do Prêmio Gestão Escolar ano-base 2010, solicitado nas secretarias de Educação, que também está disponível no site do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed): www.consed.org.br.
Este ano, além de outros prêmios, a escola "Destaque Brasil" receberá R$30 mil. O Prêmio Nacional de Referência em Gestão Escolar, uma iniciativa conjunta de vários parceiros, é apoiado pela Fundação Roberto Marinho.
Fonte: O Globo (RJ)

Ministro acredita em aperfeiçoamento com a tramitação no Congresso

O Plano Nacional de Educação (PNE) ficará melhor depois da análise no Congresso Nacional, prevê o ministro da Educação, Fernando Haddad

O Plano Nacional de Educação (PNE) ficará melhor depois da análise no Congresso Nacional, prevê o ministro da Educação, Fernando Haddad. Ele discutiu o Projeto de Lei nº 8.035/2010, sobre o plano, nesta quinta-feira, 19, com representantes da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do Conselho Nacional de Educação (CNE), em Brasília.

“No debate sobre educação não tem havido dogmatismo partidário”, afirmou Haddad. O ministro destacou a aprovação de duas emendas constitucionais e de mais de 40 leis sobre educação nos últimos quatro anos. “A legislação sobre educação foi praticamente reescrita”, disse.

Os representantes do CNE e de diversas entidades educacionais participam em Brasília de seminário para discutir o PNE. De acordo com o projeto em tramitação no Legislativo, o plano terá vigência até 2020. Uma das novidades é a vinculação direta entre metas qualitativas e recursos financeiros. O texto estabelece de onde virão os recursos necessários ao cumprimento das metas e impede o estabelecimento de objetivos sem a devida dotação orçamentária.

Hoje, 5% do produto interno bruto do país é investido em educação. Pelo PNE, esse patamar deve subir para 7%, mas setores da área educacional defendem a elevação para 10%.

projeto que o Executivo remeteu ao Congresso deve sofrer modificações no Parlamento antes de se tornar lei. “Até agora, não vi nenhuma proposta para pedir menos recursos”, disse Haddad. “A expectativa é de melhora.”

Ana Guimarães
Fonte: Portal do MEC

MEC monta força-tarefa para elaboração do Enem

19/05/2011

Ministério e Inep irão se unir a universidades públicas para elaborar a prova

Priscilla Mendes, do R7, em Brasília O MEC (Ministério da Educação) anunciou nesta quarta-feira (18) a criação de um grupo de trabalho configurado especialmente para a elaboração da próxima edição do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), a ser realizado nos dias 22 e 23 de outubro.

A pasta vai se unir a instituições públicas de ensino superior para tentar garantir a qualidade dos itens e o sucesso da aplicação.

O anúncio foi feito por Malvina Tuttman, presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), órgão responsável pela elaboração da prova. Ela divulgou ainda as datas para a primeira edição do Enem 2012: 28 e 29 de abril. A segunda edição deverá ocorrer em novembro, ainda sem dia definido.

Fonte: Todos pela Educação
Leia

Sociedade mostra-se indignada com kit do Ministério da Educação

Iniciativa tem causado repercussão péssima entre pais, alunos e professores

Parlamentares das bancadas religiosas vão participar da decisão final sobre as cartilhas e vídeos que o MEC (Ministério da Educação) quer distribuir nas escolas. Até agora, a repercussão do material tem sido péssima e o ministro da Educação, Fernando Haddad, já admite mudanças.
Em Brasília, deputados das bancadas evangélica e católica se reuniram com o ministro e criticaram o conteúdo do kit. Segundo Haddad, a cartilha e os filmes que serão distribuídos para mais de 6.000 escolas da rede pública ainda estão sendo analisados.
- Vai para a comissão de publicações. A comissão vai ouvir os secretários estaduais e municipais. Alguns parlamentares pediram para participar da reunião e participarão. O material vai sendo refeito a partir da visão do ministério da Educação.
Mesmo não sendo ainda oficiais, os vídeos estão sendo produzidos e discutidos pelo ministério e ONGs de defesa dos homossexuais há pelo menos um ano.  O site da ONG responsável pelos vídeos mostra que eles foram produzidos em parceria com o MEC.

Fonte: Todos pela Educação
Leia na Íntegra

Entenda a polêmica do livro que defende o ''nós pega'' na escola

Obra distribuída pelo MEC provoca debate sobre o papel da língua popular na sala de aula

Tatiana Klix, iG São Paulo
Aceitar a expressão “nós pega o peixe” como parte de uma linguagem adequada causa estranhamento e – em alguns casos – indignação de brasileiros zelosos pela língua culta.

Mas a linguagem popular, considerada por linguistas como uma forma de comunicação válida e com regras próprias, é também usada em salas de aula, conforme revelou o iG na semana passada ao mostrar que um livro utilizado em 4.236 escolas públicas do País para a Educação de Jovens e Adultos defende que o uso desta língua oral é adequado.
Mais do que um fato isolado, o livro Por uma Vida Melhor, da Coleção Viver, Aprender, trouxe à tona uma polêmica antiga nos meios acadêmicos. De um lado, estão linguistas que defendem a obra que prega que o aluno pode falar “os livro”.

Eles entendem que o uso da língua popular no ensino ajuda os estudantes de classes populares a se sentirem incluídos e, com isso, aprenderem com maior facilidade a norma culta. De outro, os que acreditam que esta prática limita a ascenção social dos próprios alunos.
“Para a linguística, não é um problema descrever a maneira como as pessoas falam, mas isso é diferente de dizer que o uso popular é desejável”, explica o linguista Bruno Dallari, ao comentar o conteúdo da obra da Coleção Viver, Aprender.

Fonte: Todos pela Educação
Saiba Mais

MEC diz que não vai recolher livro ''Por uma Vida Melhor''

O material didático para jovens e adultos foi distribuído pelo ministério a 4.236 escolas do país

DE BRASÍLIA - O ministro Fernando Haddad (Educação) disse que o governo não recolherá o livro "Por uma Vida Melhor", que causou polêmica por defender um erro de concordância ao tratar da diferença entre língua oral e escrita.

"Evidentemente que não [será recolhido]. Já foi esclarecido que as pessoas que acusaram esse livro não o tinham lido. Uma pena que as pessoas se manifestaram ser ter lido", afirmou o ministro.
O material didático para jovens e adultos foi distribuído pelo ministério a 4.236 escolas do país. A orientação para que as escolas não "consertem a fala de aluno para evitar que ele escreva errado" consta desde 1997 dos Parâmetros Curriculares Nacionais.
Fonte: Folha de São Paulo (SP)

Haddad nega que MEC irá alterar conteúdo de material nas escolas

Previsão do ministério é que kits cheguem às escolas no segundo semestre de 2011

BRASÍLIA – O ministro Fernando Haddad negou que o Ministério da Educação (MEC) tenha decidido alterar o conteúdo do kit de combate à homofobia que será distribuído às escolas públicas de ensino médio. Ontem (18), ele se encontrou com parlamentares da bancada evangélica que são contra o material e assegurou que os deputados poderão manifestar sua opinião à comissão de publicação de materiais do ministério, mas que as sugestões poderão ou não ser acatadas.

"O material encomendado pelo MEC visa a combater a violência contra homossexuais nas escolas públicas do país. A violência contra esse público é muito grande e a educação é um direito de todos os brasileiros, independentemente de cor, crença religiosa ou orientação sexual. Os estabelecimentos públicos têm que estar preparados para receber essas pessoas e apoiá-las no seu desenvolvimento", defendeu Haddad durante o programa de rádio Bom Dia, Ministro, produzido pela EBC Serviços em parceria com a Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

O kit homofobia, como vem sendo chamado, foi elaborado por entidades de defesa dos direitos humanos e da população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) a partir do diagnóstico de que falta material adequado e preparo dos professores para tratar do tema. O material é formado por cartazes, um livro com sugestão de atividades para o professor e três peças audiovisuais.

A previsão do ministério é que os kits cheguem às escolas no segundo semestre de 2011. O material é voltado para alunos do ensino médio – a partir dos 15 anos.
Fonte: Imirante

Ministro acredita em aperfeiçoamento com a tramitação no Congresso

O Plano Nacional de Educação (PNE) ficará melhor depois da análise no Congresso Nacional, prevê o ministro da Educação, Fernando Haddad. Ele discutiu o Projeto de Lei nº 8.035/2010, sobre o plano, nesta quinta-feira, 19, com representantes da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do Conselho Nacional de Educação (CNE), em Brasília.

“No debate sobre educação não tem havido dogmatismo partidário”, afirmou Haddad. O ministro destacou a aprovação de duas emendas constitucionais e de mais de 40 leis sobre educação nos últimos quatro anos. “A legislação sobre educação foi praticamente reescrita”, disse.

Os representantes do CNE e de diversas entidades educacionais participam em Brasília de seminário para discutir o PNE. De acordo com o projeto em tramitação no Legislativo, o plano terá vigência até 2020. Uma das novidades é a vinculação direta entre metas qualitativas e recursos financeiros. O texto estabelece de onde virão os recursos necessários ao cumprimento das metas e impede o estabelecimento de objetivos sem a devida dotação orçamentária.
Fonte:Mec
Leia

Após pressão, governo irá reavaliar kit anti-homofobia

Ministro vai ao Congresso se explicar após ameaça de bancadas religiosas

Pressionado pelas bancadas evangélica, católica e de defesa da família do Congresso, o ministro da Educação, Fernando Haddad, disse ontem que poderá alterar o conteúdo do chamado kit anti-homofobia, programado para ser entregue a professores do ensino médio de todo o país.
A versão preliminar do material, que segundo o governo só será apresentado a alunos após a avaliação de cada escola, já recebeu aval da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).
Estudantes que estão no ensino médio costumam ter, no mínimo, 14 anos de idade.
Haddad, que é o nome preferido do ex-presidente Lula para disputar a Prefeitura de São Paulo no ano que vem, diz agora que pretende discutir o conteúdo com religiosos, além de secretários estaduais e municipais de Educação.
O kit contém três vídeos sobre transexualidade, bissexualidade e homossexualidade. Mesmo sem ter havido uma divulgação oficial, muitos deles já estão na internet.
Nas últimas semanas, além dos vídeos, circulou entre parlamentares uma cartilha anti-homofobia que o MEC não admite ser de sua autoria. "Vários dos materiais que foram distribuídos aqui não são do ministério", disse Haddad na reunião de ontem com parlamentares.
Uma cartilha com o símbolo do MEC mostrada por deputados trata de temas como masturbação. Outra, com o símbolo do Ministério da Saúde, traz ilustrações com cenas de sexo entre homens.
O ministro foi se explicar após as bancadas religiosas ameaçarem "não votar nenhuma matéria" caso o kit não fosse "recolhido".
Haddad disse que o MEC sequer distribuiu o material. Ele não quis apontar responsáveis pelo vazamento. Aos deputados, o ministro atribuiu a divulgação do kit, que segundo ele ainda não está pronto, a quem o produziu.
Segundo o MEC, a ONG Pathfinder foi contratada há três anos pelo governo para desenvolver o material. A Folha não achou ninguém no escritório da organização até o fechamento desta edição.
"O problema do vídeo que está no YouTube é que o material está sendo produzido há mais de um ano. Teve muitas idas e vindas. O MEC recomenda alterações. Ele só se torna oficial quando é aprovado pela comissão de publicação", disse Haddad.
Integrante da bancada evangélica, o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) diz que o kit incentiva a homossexualidade. "Dinheiro público deve ser usado no combate à homofobia, não para estimular opção sexual".
Fonte: Folha de São Paulo (SP)

Inscrições para o Enem 2011 começam na próxima segunda

Prova será em 22 e 23 de outubro; outro exame ocorrerá em 28 e 29 de abril

 O MEC (Ministério da Educação) abre às 10h da próxima segunda-feira as inscrições para o Enem 2011, que deverão ser feitas exclusivamente pela internet (www.INEP.gov.br) até as 23h59 de 10 de junho. Como a Folha adiantou, a prova ocorre em 22 e 23 de outubro.

A intenção do ministério é ter dois exames em 2012. O primeiro já está marcado para 28 e 29 de abril. A segunda prova deve ser em novembro.
A realização de mais de um exame por ano é prometida pela pasta há dois anos. No período, o Enem passou por uma sucessão de problemas, como o vazamento da prova em 2009.
Neste ano, para evitar novos problemas com a prova, o MEC contratou o Inmetro e a Módulo, uma empresa de "gestão de risco". O Inmetro deverá certificar principalmente a gráfica onde o Enem é impresso -RR Donnelley, a mesma do ano passado.
Fonte:Todos pela Educação
Leia Mais

Plano prevê R$ 61 bilhões para Educação em dez anos

18/05/2011

Com os R$ 61 bilhões, o investimento em Educação ultrapassará a marca dos R$ 220 bilhões em 2020, um crescimento nominal de 40%, e deve chegar perto de 7% do PIB

O Brasil precisará investir no mínimo R$ 61,058 bilhões até 2020 para cumprir as 20 metas do novo Plano Nacional de Educação (PNE), entre elas a criação de 4,3 milhões de vagas em creches e pré-escolas, a erradicação do analfabetismo e a redução em 50% da taxa de analfabetismo funcional, a criação de mais de 5 milhões de matrículas para jovens de 18 a 24 anos na universidade e a equiparação do salário médio do professor das redes públicas com diploma universitário ao rendimento de profissionais de outros setores com escolaridade equivalente.

Com os R$ 61 bilhões, o investimento em Educação de União, Estados e municípios ultrapassará a marca dos R$ 220 bilhões em 2020, um crescimento nominal de 40%, e deve chegar perto de 7% do Produto Interno Bruto (PIB). Entre 1999 e 2009, o orçamento federal para o setor quase triplicou, também desconsiderando a inflação.

Fonte:Todos pela Educação
Leia

Ministro da Educação diz desconhecer 'kit gay' em circulação

Após reunião com parlamentares da bancada evangélica e católica da Câmara dos Deputados, o ministro da Educação, Fernando Haddad, negou que o material em circulação conhecido como "kit gay" - produzido para ser distribuído em escolas públicas na tentativa de diminuir o preconceito contra homossexuais - seja oficial do MEC. No total, são três vídeos - disponíveis na internet - e quatro cartilhas.

"O material que vi circulando não é do MEC. Vários dos materiais que foram distribuídos não são do MEC. Vim esclarecer que não são. A maioria do material que me foi apresentado aqui não é do MEC, estão atribuindo ao MEC um material que não é oficial. Todo ao material do MEC está em domínio público, qualquer pessoa pode fazer o download pelo site do ministério", disse.

De acordo com o ministro, nenhum material foi distribuído para as escolas e todos devem passar pela aprovação da Comissão de Publicação da pasta. As cartilhas e os vídeos estão sendo produzidos por uma empresa terceirizada pelo ministério.

"Recebemos o material, o convênio está em ordem, o material vai para a Comissão de Publicação para um debate interno, material todo. Só se torna oficial quando aprovado na comissão, o que ainda não aconteceu. A comissão vai ouvir secretários estaduais e municipais de educação, alguns parlamentares pediram para participar da reunião e participarão", afirmou. 

FONTE: TERRA

Chega ao fim a greve dos professores da rede estadual

Depois de 77 dias de paralisação, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) suspendeu, nesta terça-feira (17), a greve dos professores da rede estadual de ensino. A decisão do Sindicado foi tomada depois que o governo encaminhou uma nova proposta à categoria no último dia 12.
A secretária de Estado de Educação, Olga Simão, informou que o Governo do Estado vai trabalhar os pontos acordados e, principalmente, o planejamento do calendário letivo para minimizar os prejuízos causados pela paralisação para que o ano possa ser encerrado dentro prazo estabelecido pela secretaria, no dia 23 de dezembro.

“A partir desta quarta-feira (19), já estaremos nas escolas, reunindo com os gestores para trabalhar o calendário letivo e planejar a reposição de todas as aulas não ministradas”, afirmou a secretária.

Mesmo antes da oficialização do fim do movimento pelo sindicato, nesta segunda-feira (16), professores da rede estadual de ensino da Unidade Regional de Educação (URE) de Imperatriz voltaram às salas de aula. As regionais de Açailândia, Bacabal, Balsas, Santa Inês, Pinheiro, Timon, Zé Doca, Barra do Corda, São João dos Patos, Presidente Dutra, Chapadinha, Pedreiras, Codó, Caxias e Itepecuru-Mirim também estavam funcionando normalmente.

A proposta encaminhada pelo governo ao Sinproesemma foi resultado do que ficou pactuado em reuniões de negociação entre o Governo do Estado e a diretoria do Sindicato. A mesa de negociação foi comandada pelo vice-governador, Washington Luiz Oliveira, e secretários Olga Simão (Educação) e Rodrigo Comerciário (Articulação Institucional).
 
Fonte: ASCOM / SEDUC

MEC terá duas novas secretarias nacionais

O Ministério da Educação vai intensificar ações de articulação educacional e de supervisão no Ensino Superior

O Ministério da Educação (MEC) vai intensificar ações de articulação educacional e de supervisão no Ensino Superior. A reestruturação de secretarias e diretorias foi publicada ontem, no Diário Oficial da União. Com as mudanças, o MEC passa a ter duas novas Pastas.

A Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior; e a Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino. A Secretaria de Regulação e Supervisão terá três diretorias, que implementarão as políticas de Educação presencial, à distância, Profissional e Tecnológica.

E a Secretaria de Articulação terá três diretorias, que atuarão nas áreas de cooperação e planos de Educação; articulação dos sistemas de Ensino; e valorização dos profissionais da Educação.

Ações de Educação inclusiva foram incorporadas à Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), que será dirigida por Cláudia Dutra.

E terá quatro diretorias: Políticas para Educação no Campo e Diversidade; Alfabetização eEducação de Jovens e Adultos; Direitos Humanos e Cidadania; e Educação Especial.

Permanecem nos cargos Maria do Pilar Lacerda (SEB); Eliezer Pacheco (Setec); José Henrique Paim Fernandes (Secretaria Executiva); Jorge Guimarães (Capes); Daniel Balaban (FNDE); e Malvina Tuttman (Inep).

SECRETARIAS
Regulação e Supervisão da Educação Superior: Tratará do cumprimento da legislação do setor. Sob o comando de Luís Fernando Massonetto (USP).

Articulação com os Sistemas de Ensino: Estimulará a cooperação entre União, estados e municípios, buscando desenvolver um sistema nacional de Educação. Dirigida por Carlos Abicalil.
Fonte: Correio do Povo (RS)

Enem será em 22 e 23 de outubro e em 28 e 29 de abril

O anúncio oficial sobre as datas do Enem será feito hoje, em Brasília, pela presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Malvina Tuttman

As duas próximas edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) serão realizadas nos dias 22 e 23 de outubro e em 28 e 29 de abril de 2012. A data da segunda edição do exame do ano que vem não foi definida por causa das eleições municipais.

Como os locais de prova são os mesmo utilizados para votação e ainda há dúvidas sobre a capacidade de realizar o Enem entre o primeiro e o segundo turno, o Ministério da Educação (MEC) resolveu deixar a questão em aberto.
O anúncio oficial sobre as datas do Enem será feito hoje, em Brasília, pela presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Malvina Tuttman.
O MEC sempre quis que o Enem tivesse duas edições por ano. Em 2010, o ministro Fernando Haddad cancelou, em março, a edição do primeiro semestre, que seria realizada entre abril e maio.

Segundo foi divulgado na época, temia-se que, se fosse feita uma licitação, em que pesa o menor preço, o órgão contratado para realizar o exame não daria condições de segurança para a prova nacional. Em 2009, o Enem vazou quando estava sob a responsabilidade do consórcio Conasel, conforme revelou o Estado, e exame foi adiado.
No edital do exame, que será publicado amanhã no Diário Oficial da União, o Inep vai reafirmar o veto a pedidos de revisão ou vistas de provas. O instituto, porém, vai condicionar a proibição, que já existia em anos anteriores, a uma manifestação oficial da Justiça.
Neste ano, houve recursos à Justiça no Rio, em Minas, São Paulo, Ceará e Pernambuco pedindo vistas de provas do Enem, movidos tanto por estudantes, quanto pelo Ministério Público e pela Defensoria Pública. Em suas alegações, o Inep argumentou que a dimensão do Enem, que teve 4,6 milhões de inscritos, torna inviável os pedidos de revisão ou vistas de prova.
Mudanças
Conforme o MEC havia antecipado no mês passado, uma das novidades do próximo Enem será a proibição do uso de celulares. Os candidatos serão obrigados a deixar os aparelhos fora da sala de aula.
Essa precaução foi adotada porque, durante a aplicação do exame no ano passado, muitos alunos tentaram fraudar a prova tirando fotografias.
Outra medida que o ministério estuda e pode aparecer no edital é um tempo extra, antes do início do Enem, para os alunos checarem possíveis erros de impressão. A ideia é que, com esse mecanismo, o aluno não reclame posteriormente.
Fonte: O Estado de São Paulo (SP)

Cursos para professor recebem inscrições até dia 29 de maio

Diretores das escolas públicas podem indicar, até 29 de maio, os professores de sua unidade escolar nos cursos de extensão e de aperfeiçoamento oferecidos por meio da Plataforma Freire.

A formação é uma parceria entre a Secretaria de Educação Básica (SEB), a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad) e a Secretaria de Educação Especial (Seesp) com instituições públicas de ensino superior, e atenderá professores de todos os entes da federação.

A Plataforma Freire é um sistema desenvolvido pelo MEC por meio do qual o professor se inscreve em cursos oferecidos pelo Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica, com o objetivo de adequar a sua graduação.
Leia Mais

MEC descarta regra do "jeito certo" de falar desde 1997

A orientação para que as escolas não "consertem a fala de aluno para evitar que ele escreva errado" consta desde 1997 dos Parâmetros Curriculares Nacionais --ou seja, passou pelos governos FHC, Lula e Dilma.
Os documentos servem como orientação a escolas, professores e editoras.

Quando abordou nos PCNs o tema "qual fala cabe à escola ensinar", o Ministério da Educação já orientava que a escola "precisa livrar-se do mito de que existe uma única forma certa de falar".

Mesmo assim, surgiu recentemente uma grande discussão sobre variações na linguagem oral em desacordo com a norma culta, motivada pelo livro didático "Por uma Vida Melhor".

Na semana passada, o site IG divulgou que o livro, ao tratar da diferença entre a língua oral e a escrita, afirma que é possível dizer, em determinados contextos, "os livro ilustrado mais interessante estão emprestado".

A educadora Maria Cristina Ribeiro Pereira, uma das coordenadoras dos PCNs em 1997, diz que a inclusão do tema nos parâmetros teve como objetivo chamar a atenção da escola para preconceitos não visíveis.

"O preconceito em relação à fala acontece não apenas com jovens e adultos. É comum, por exemplo, quando uma criança sai de uma escola rural para uma urbana, sofrer preconceito pelo modo de falar." Ela não quis comentar o livro "Por uma Vida Melhor" por não tê-lo lido.

Leia Mais

Seduc apresenta estrutura organizacional de cooperação técnica com MEC/PNUD

17/05/2011

Técnicos da Secretaria de Educação (Seduc), reuniram-se, nesta segunda-feira (16), no Praia Mar Hotel (São Luís), para apresentação da estrutura organizacional que irá reger o projeto de Cooperação Técnica entre o Governo do Estado, Ministério da Educação (MEC) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) -  responsável pela elaboração do diagnóstico sobre a educação no Maranhão, requerido pela governadora Roseana Sarney.

Na reunião, foram deliberados os caminhos a serem percorridos na construção do diagnóstico, que tem prazo de conclusão previsto para os próximos seis meses. Durante o evento foram eleitos os coordenadores das quatro dimensões (gestão educacional, formação inicial e continuada de professores e profissionais de serviços educacionais, práticas pedagógicas e avaliação e infraestrutura educacional) e os coordenadores de 20 ações que serão executadas nos eixos propostos pelas dimensões.

A coordenação geral do projeto e os técnicos de tecnologia da informação da Seduc se reúnem nesta terça-feira (17), com a equipe do estado de Alagoas, para troca de experiências sobre a montagem de um site institucional, com lançamento previsto para o dia 7 de junho. A ferramenta vai permitir uma comunicação mais célere entre as diversas coordenadorias dentro da própria Seduc, além de servir como parâmetro para avaliação da coordenação do projeto.

Leia Mais
Fonte: Governo do Maranhão 

Rede federal atinge 420 mil matrículas em 400 escolas

O mês de maio registra um marco na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Com o início das aulas dos campi de São João dos Patos e de Barra do Corda, ambos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, a rede contabiliza 400 unidades em funcionamento, com 420 mil matrículas — 301 mil em cursos técnicos e de formação inicial e continuada e 118 mil em cursos de licenciatura, bacharelado, pós-graduação e superiores de tecnologia.

Em 2005, a rede registrava 173 mil matrículas, somados os níveis básico e superior. Os dados são do Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (Sistec).

Das 400 escolas em funcionamento, 260 são novas, surgidas com o plano de expansão lançado em 2005 — 60 funcionam em instalações provisórias. Essas novas escolas geram 116 mil matrículas, mas têm capacidade para ofertar o dobro. Outras 35 estão com obras em andamento e ainda não deram início às aulas.

Leia Mais
Fonte: MEC

Acaba a greve dos professores da rede estadual em Imperatriz

16/05/2011

Professores se comprometeram em cumprir o calendário da Secretaria de Estado de Educação

 Acabou a greve dos professores da rede estadual de ensino. Com isso, a partir desta segunda-feira (15), os professores retornaram às salas de aula no município.
Segundo o delegado sindical do Simproessema para a região Tocantina, Raimundo Nonato Silva, o retorno ao trabalho se deu após o sindicato e o governo do Estado firmarem acordo pelo qual não haverá desconto dos dias parados em abril.
Os professores se comprometeram a cumprir o calendário aprovado no mês de janeiro pelo qual terão de trabalhar durante 30 sábados, conforme também estipulado pelo calendário anual.
A categoria que aderiu a greve e se comprometeu, também, em trocar as férias em julho pela sala de aula para reposição de conteúdos.
As informações foram confirmadas pelo gestor de educação de Imperatriz, Agostinho Noleto Soares.

Fonte:Imirante
João Rodrigues / Imirante

MEC anuncia ''datas prováveis'' de prova do Enem

Dias de prova devem ser 22 e 23 de outubro e outra edição está marcada para maio de 2012; edital será divulgado na próxima quinta-feira

O edital com todas as informações sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será publicado na próxima quinta-feira. O Ministério da Educação adiantou que os dias 22 e 23 de outubro são tidos como quase certos para a realização da prova. No documento, que será publicado no Diário Oficial da União, também será anunciada a data da próxima edição, em maio de 2012.

Duas datas cogitadas para maio seriam os dias 5 e 6. O MEC sempre quis que o Enem tivesse duas edições por ano. No ano passado, em março, o ministro Fernando Haddad cancelou a edição do primeiro semestre, que seria realizada entre abril e maio.

Segundo foi divulgado na época, temia-se que, se fosse feita uma licitação, em que pesa o menor preço, o órgão contratado para realizar o exame não daria condições de segurança para a prova nacional
.
Em 2009, o Enem vazou quando estava sob a responsabilidade do consórcio Conasel. A reportagem do Estado comunicou o vazamento ao MEC e o exame teve de ser cancelado e adiado.

Desde a última edição, o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) passou a cuidar da realização do exame. Mesmo sendo uma entidade com grande experiência em concursos, houve uma série de problemas com a prova, como questões em branco em diversas provas e gabaritos trocados.
Neste ano, segundo o MEC, 59 instituições públicas de ensino superior se cadastraram para elaborar as questões do Enem. Elas serão pagas a cada item criado, testado e aprovado.

Novas exigências
Conforme o MEC havia antecipado no mês passado, uma das novidades do próximo Enem será a proibição do uso de celulares. Os candidatos serão obrigados a deixar os aparelhos fora da sala de aula.
O ministério adotou essa precaução porque, no ano passado, muitos alunos tentaram fraudar a prova tirando fotografias.

Outra medida que o ministério estuda e pode aparecer no edital é um tempo extra, antes do início do Enem, para os alunos checarem possíveis erros de impressão. A ideia é que, com esse mecanismo, o aluno não reclame posteriormente.

Fonte: O Estado de São Paulo (SP)

Editorial: Resgate do português

Livro didático do MEC dispensa o ensino do norma culta

Não bastasse a coleção de trapalhadas patrocinadas pela incapacidade gerencial de executar o oportuno projeto de substituir o velho e anacrônico vestibular pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Ministério da Educação (MEC) acaba de oferecer ao país mais um equívoco.

Desta vez, a complacência com a incultura e o culto à ignorância chegou às raias da irresponsabilidade. Os gênios do Ministério produziram e estão distribuindo a quase meio milhão de alunos do ensino fundamental em escolas públicas um livro de português que o bom senso não pode recomendar.

Volume da coleção Viver, aprender, o livro, que deveria ser didático, ensina que o aluno não precisa seguir normas da gramática para se expressar. E, para deixar bem clara a barbaridade que pretende tornar oficial, dá exemplos como “os livro ilustrado”, e “nós pega o peixe”.

Leia Mais

MEC quer política de Educação mais articulada entre Estados e municípios

Augusto Abicalil, novo secretário do MEC, diz que federalismo na Educação brasileira pode seguir modelo do SUS

O governo federal promete intensificar esforços para desenvolver um sistema nacional articulado de Educação no Brasil. Para tratar do tema, o Ministério da Educação (MEC) vai criar a Secretaria de Articulação de Sistemas de Ensino (Sase) com planos de ampliar programas e investimentos destinados a prefeituras e governos estaduais.

O objetivo é reduzir desigualdades e reordenar a relação federativa na área educacional entre União, Estados e municípios em assuntos como financiamento, gestão, normas, formação de professores e integração curricular.

A Sase, que aguarda sanção de decreto presidencial para passar a figurar no organograma do MEC, será liderada pelo filósofo Carlos Augusto Abicalil, ex-deputado federal pelo PT de Mato Grosso que se destacou por sua atuação parlamentar em matérias relacionadas à Educação e foi derrotado nas eleições do ano passado para o Senado.

fonte: Todos pela Educação
Leia

Seduc e Instituto Ayrton Senna realizam encontro em São Luís

15/05/2011

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc), em parceria com o Instituto Ayrton Senna, realiza nesta semana, o Encontro de Planejamento do Gestão Nota 10 (GN10). Participarão do encontro, técnicos das 19 Unidades Regionais de Educação da Seduc.

A abertura será na quarta-feira (18), às 8h30, no prédio da secretaria (no Monte Castelo)

A coordenadora do programa Gestão Nota 10 na Seduc, Ana Paula Pires, disse que o evento terá como objetivo alinhar as ações do programa, a partir da nova configuração definida pelo Instituto Ayrton Senna dirigida aos gestores de educação.

O encontro visa, também, otimizar o trabalho pedagógico e técnico-gerencial das 19 Unidades Regionais de Educação (UREs), por meio da coordenação estadual e da secretaria Adjunta de Ensino da Seduc. A pauta da reunião de trabalho terá como temas o alinhamento dos princípios do GN10; ponto comum entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o GN10.

Durante o evento, será elaborada a agenda mensal e de planejamento semestral da coordenação estadual do GN10, agência técnica e gerência do programa IAS; apresentação da nova estrutura operacional do GN10 nas URE’s e coordenação estadual, bem como definidas as orientações e esclarecimentos sobre os relatórios de acompanhamento quantitativo e qualitativo do Sistema Instituto Ayrton Senna de Informação (SIASI).

O SIASI registra as informações educacionais dos estados e municípios parceiros por meio da coleta de dados das escolas e da sua consolidação no âmbito das secretarias de educação.

Segundo a coordenadora estadual do programa, Ana Paula Pires, as diretrizes gerenciais do Gestão Nota 10 visam fortalecer a competência técnica dos gestores escolares da rede estadual e promover a articulação de todas as condições necessárias para a eficácia do processo educacional, tendo como foco o sucesso dos alunos da rede estadual de ensino.

Inscrição prorrogada para colaborador do Banco Nacional de Itens

12/05/2011

Foram prorrogadas as inscrições para seleção e credenciamento de colaboradores do Banco Nacional de Itens (BNI) da Educação Superior. Os interessados têm agora até domingo, 15, para fazer o cadastro, na página eletrônica do BNI — o prazo anterior expirou na quarta-feira, 11. Os candidatos selecionados vão atuar no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituições de Educação Superior (Revalida). Aqueles com melhor pontuação serão convocados até o dia 13 para participar de curso de capacitação nos dias 25 e 26, em Brasília. Mais informações na página eletrônica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). 

Fonte: Mec

Pessoas com menor grau de Educação envelhecem mais rápido

Análises do DNA dos pesquisados sugerem que o envelhecimento celular é mais avançado em adultos sem qualificações comparados com aqueles que tem um diploma universitário

Uma pesquisa britânica realizada com 400 homens e mulheres sugere que pessoas com menos educação tem tendência a envelhecer mais rapidamente. Análises do DNA dos pesquisados sugerem que o envelhecimento celular é mais avançado em adultos sem qualificações comparados com aqueles que tem um diploma universitário.
A instituição de caridade britânica para problemas do coração, British Heart Foundation, afirmou que o estudo, realizado em Londres e publicado na revista especializada Brain, Behaviour and Immunity, reforça a necessidade de enfrentar as diferenças sociais.
"Não é aceitável que o local onde você vive ou o quanto você ganha - ou a menor bagagem acadêmica - possam significar um risco maior de doenças", afirmou o professor Jeremy Pearson, diretor médico associado da instituição.

Fonte:Todos pela Educação
Leia

Lei para barrar o bullying

Para se livrar do rótulo de segunda capital com maior índice de vítimas de bullying, Belo Horizonte poderá ser amparada por lei específica para acabar com o problema dentro das escolas municipais

Para se livrar do rótulo de segunda capital com maior índice de vítimas de bullying, atrás apenas de Brasília, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Belo Horizonte poderá ser amparada por lei específica para acabar com o problema dentro das escolas municipais.

Foi aprovado ontem na Câmara Municipal, em segundo turno, o Projeto de Lei 596/2009, que cria o Programa BH Trote Solidário e Cidadão e de Prevenção e Combate ao Bullying. Equipes multidisciplinares deverão ser montadas para identificar os praticantes e vítimas de agressões psicológicas e físicas repetitivas no ambiente escolar.


Fonte:Todos pela Educação
Leia

O ensino médio e seus caminhos

11/05/2011

Um dos principais dilemas da educação contemporânea é aquele que gira em torno da permanência dos alunos do ciclo médio nos bancos escolares. Atraídos pelo número de estímulos e pela velocidade da sociedade, a escola lhes parece enfadonha. No entanto, muito do que lhes parece fora de propósito nessa fase - experiências, relações, conhecimentos - só irá adquirir sentido ao longo do tempo. Muitas vezes acaba por não fazer, por diversos motivos, entre eles o abandono da escola.

Todo esse clima de desinteresse dos adolescentes pela vida escolar tem gerado muitas reflexões mundo afora sobre os possíveis caminhos de fazer com que o ensino médio seja vivido e percebido como significativo. Nessa perspectiva, o desafio dos sistemas de ensino nos últimos anos envolve a capacidade de organizar um programa curricular que consiga, ao mesmo tempo, formar os jovens para continuar os estudos no ensino superior e prepará-los para o mercado de trabalho. Ou seja, fazer com que se escolarizem o mais possível, o que muitas vezes obscurece outros sentidos da educação.

No Brasil, o cenário segue roteiro parecido. As novas proposições do governo federal para o ensino médio têm o objetivo de elevar o índice de conclusão do ensino médio regular para o patamar de países mais desenvolvidos. "Para esses países, a permanência do aluno em sala de aula nessa etapa deixou de ser um desafio há alguns anos. Hoje existe uma forte pressão socioeconômica, e muitos daqueles que saem não têm a menor chance profissional na vida", avalia Cândido Gomes, consultor da Unesco e professor da Universidade Católica de Brasília (UCB-DF).

Leia Mais
Fonte: Revista Educação

Instituto federal vai promover olimpíada de agropecuária em MG

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais promoverá, no segundo semestre, a primeira Olimpíada Brasileira de Agropecuária (Obap). O projeto, aprovado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), tem o apoio dos ministérios da Educação e da Ciência e Tecnologia e será realizado em parceria com o setor de agrobiologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais.

A olimpíada, que terá a participação de aproximadamente 200 equipes, cada uma composta por quatro alunos e um orientador, em todo o território nacional, é dirigida a estudantes de ensino técnico de nível médio nas modalidade integrado e concomitante da área de agropecuária. A competição terá quatro etapas. As três primeiras virtuais, com avaliações de múltipla escolha, destinadas a avaliar o conhecimento nas áreas de agricultura e zootecnia.

Leia Mais
Fonte: MEC

Governadora lança Programa de Formação Profissional

O Programa Integrado de Educação Profissional do Maranhão - Maranhão Profissional foi lançado nesta quarta-feira (11), no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, pela governadora Roseana Sarney com a participação de secretários estaduais, empresários, representantes da iniciativa privada, de instituições públicas e autoridades.

De acordo com a governadora, o programa visa qualificar a mão de obra local, para que os maranhenses possam ocupar os novos postos de trabalho que estão sendo criados. Ela ressaltou que a iniciativa é motivada com a forte parceria estabelecida entre o seu governo e as instituições de ensino público e as empresas que estão se instalando no Maranhão.

“O Maranhão Profissional consolida a minha decisão de possibilitar a todos os maranhenses os meios para que esses empregos sejam ocupados preferencialmente por nossa gente”. Ao todo, R$ 800 milhões serão investidos para financiar a educação profissionalizante nos próximos anos em todo o estado. 

Na ocasião, a governadora assinou a Medida Provisória criando a coordenadoria executiva e instalando os Conselhos Consultivo e Deliberativo, formados por representantes estaduais, das instituições públicas e iniciativa privada, responsáveis pelo acompanhamento, definição das ações e fiscalização do programa.

Leia Mais
Fonte: Governo do Maranhão

Técnicos debatem processo de aprendizagem das crianças

10/05/2011

A Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação realiza a partir desta segunda-feira, 9, até quarta, 11, uma reunião técnica que discute expectativas de aprendizagem e desenvolvimento nas diferentes etapas da educação básica.

O objetivo é construir recomendações para uma política curricular da educação básica, que considere o processo formativo dos estudantes desde a educação infantil até o ensino médio. Para tanto, serão debatidas as determinações da emenda constitucional 59, que amplia a obrigatoriedade de educação para crianças e jovens, as diretrizes curriculares da educação básica (incluindo educação infantil, ensinos fundamental e médio) e ainda as proposições do Plano Nacional de Educação (PNE), em discussão no Congresso Nacional.

Leia Mais

Instituições têm prazo até o fim da semana para informar dados ao censo

As instituições públicas e particulares de educação superior de todo o país têm prazo até a próxima sexta-feira, 13, para informar, pela internet, os dados do Censo da Educação Superior de 2010. O levantamento abrange informações individualizadas sobre as instituições, cursos, professores e estudantes.

Os responsáveis pelo preenchimento das informações para o censo podem fazer alterações e inclusões a qualquer momento, pois o sistema está disponível de forma permanente. Este ano, a coleta de informações estará integrada ao cadastro e-MEC, de forma a evitar que os dados sejam informados mais de uma vez para os diferentes sistemas do Ministério da Educação, agora baseados num mesmo cadastro de instituições e de cursos.

Encerrado o prazo de preenchimento das informações, as instituições de ensino terão o período de 16 a 23 próximos para verificar a consistência dos dados enviados. Em seguida, o sistema de recebimento será reaberto, do dia 24 deste mês até 13 de junho, para eventuais correções e validação das informações. Os dados consolidados serão divulgados no fim de julho.

Leia Mais

Programa Mais Educação conta com adesão de 15 mil escolas

09/05/2011

Este ano, 15.018 escolas públicas do país passam a oferecer Educação integral, por meio do programa Mais Educação, do Ministério da Educação

Este ano, 15.018 escolas públicas do país passam a oferecer educação integral, por meio do programa Mais Educação, do Ministério da Educação. Do total, 5.256 participam do programa pela primeira vez. Todas as novas escolas são de ensino fundamental.

Desde a criação do Mais Educação, o número de estudantes atendidos em tempo integral em escolas públicas é crescente. Passou de 386 mil, em 2008, para 2,2 milhões, em 2010; este ano, 3 milhões de alunos poderão estudar em escolas de educação integral. A estimativa de recursos aplicados é de R$ 574 milhões.   

Fonte: Todos pela Educação
Leia

Comissão discute o Plano Nacional de Educação

A comissão especial sobre o Plano Nacional de Educação (PNE - PL 8035/10) realiza audiência pública na próxima quarta-feira (11) sobre a qualidade da Educação.

O debate foi proposto pelo relator da comissão, deputado Angelo Vanhoni (PT-PR). A comissão é presidida pelo deputado Gastão Vieira (PMDB-MA).
Foram convidados representantes da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e do Movimento Todos pela Educação.

A comissão
Instalada em 13 de abril, a comissão analisa a proposta de política educacional do governo para o decênio 2011-2020. O projeto estabelece que 7% do Produto Interno Bruto (PIB) será investido em educação ao longo desse período.

Esse mesmo percentual já estava previsto no PNE anterior (2001-2010), mas entidades que atuam na área afirmam que a meta não foi cumprida. Pelos cálculos do Ministério da Educação, a implantação do novo plano custará R$ 80 bilhões. A edição de um novo Plano Nacional de Educação a cada década está prevista na Constituição.

NOTA

05/05/2011

Em respeito à opinião pública, em especial aos estudantes da rede estadual de ensino e seus familiares, esclareço que o Governo do Maranhão mantém, nos termos do que foi pactuado na reunião de que participamos na semana passada, o compromisso assumido com os professores de colocar em prática o piso salarial da categoria determinado pelo Supremo Tribunal Federal, no prazo de até 30 dias após o STF emitir o Acórdão da sua decisão e o Ministério da Educação dar cumprimento ao disposto no art. 4o. da Lei 11.738, de 16/07/2008.

Ratifica o compromisso de implantar o Estatuto do Magistério, buscando adequá-lo à nova realidade estabelecida pelo novo piso nacional da categoria, encaminhando-o à Assembléia Legislativa do Estado.


Fonte: Ascom/Seduc

Conselho torna currículo do Ensino Médio mais flexível

De acordo com seu perfil, escolas poderão enfatizar algumas disciplinas

ANGELA PINHO
DE BRASÍLIA
O CNE (Conselho Nacional de EDUCAÇÃO) aprovou ontem novas diretrizes para o ensino médio que incentivam as escolas a elaborar currículos mais flexíveis e adaptados ao contexto dos estudantes.

A ideia é que cada colégio organize o ensino em torno de quatro grandes áreas: trabalho, tecnologia, ciência e cultura. A partir delas, o currículo poderia enfatizar algumas disciplinas.

Uma escola que fica em uma localidade industrial, por exemplo, poderia enfatizar tecnologia e trabalho e, dessa forma, dar mais espaço a física e química na grade.

Não se pode, porém, deixar as outras disciplinas de lado. Ou seja: todas as escolas continuam tendo a obrigação de ensinar matemática, português, ciências, filosofia e sociologia. A diferença é que, com as novas diretrizes, elas ganham um incentivo para dosar a grade horária como preferirem.

Fonte:Todos pela Educação
Leia

Provinha Brasil desafia a garotada


Lápis na mão e concentração total para confirma o aprendizado do bê-á-bá. Mais de 35 mil estudantes da rede pública de ensino do Distrito Federal, alunos do segundo ano do ensino fundamental, com idades entre 6 e 8 anos, testaram ontem suas habilidades de leitura e interpretação ao participarem da Provinha Brasil Ciclo 2011.

A avaliação é uma ferramenta de diagnóstico recomendada pelo Ministério da Educação (MEC) para auxiliar professores e diretores das escolas a identificar problemas relacionados ao processo de alfabetização dessas crianças e, a partir disso, elaborar novas metas de ensino.

Outro teste deve ser aplicado antes do fim do ano para checar a evolução dos estudantes. O objetivo é tentar atingir as metas do Plano Nacional de Educação (PNE 2011-2020) que pretende alfabetizar todas as crianças de até 8 anos.

A depender dos resultados passados, o DF está no caminho certo. Quase 95% dos estudantes que realizaram o teste em 2010 foram capazes de ler e escrever de forma adequada à idade e série. Os dados são resultantes do exame final, realizado em novembro do ano passado: um avanço de dois pontos percentuais se comparado ao diagnóstico de 2009.

Do total, 85,2% dos alunos foram classificados nos níveis 4 e 5, aptos a ler textos, superando expectativas. Outros 10,6% atingiram o nível 3, que demonstra capacidade de ler palavras e frases. O restante se encaixa no nível 2, mostrando que tem domínio para identificar e escrever períodos simples, porém com dificuldades em palavras com ortografia mais complexa. Apenas 0,8% foram enquadrados no nível 1, ou seja, não possuem habilidade para ler e redigir.

Leia Mais

Notas do boletim servem de alerta para pais ajudarem os filhos


Desempenho do aluno pode melhorar se problemas forem detectados antes. Participação da família é fundamental no desenvolvimento escolar.


Muito se discute sobre o valor das notas escolares como sinalizadoras do desenvolvimento escolar da criança. Sem serem absolutas, elas são um indicador importante de como andam as coisas no processo de aprendizagem.

Vários fatores podem influenciar o desempenho dos alunos nas avaliações escolares. Além de terem que prestar atenção às aulas, devem se preparar em casa estudando a matéria, e estarem bem física e psiquicamente ao realizá-las.

É claro que cada aluno é um. Se alguns parecem pegar a matéria no ar, outros só conseguirão aprendê-la ao estudarem sozinhos – seu tempo de atenção pode ser curto. Alguns não precisam nem rever a matéria para uma avaliação, enquanto que outros necessitam de várias revisões.

Leia Mais

Mais de 3.500 estudantes vão à 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Biologia

04/05/2011

Candidatos vão passar por nova seleção no próximo dia 29; os quatro melhores vão representar o Brasil na Olimpíada mundial

Os organizadores da 7ª edição da Olimpíada Brasileira de Biologia (OBB) divulgaram nesta terça-feira (3) a relação dos mais de 3.500 candidatos aprovados na primeira fase do concurso. Eles vão disputar a segunda fase no próximo dia 29 em seus estados de origem.
A segunda fase vai definir os dez estudantes que irão para o treinamento no Rio nos laboratórios da UFRJ, Uerj, UniRio e Instituto ORT em Petrópolis. Os quatro primeiros colocados vão intergrar a equipe brasileira para disputar uma olimpíada mundial de conhecimentos em biologia, que será realizada em julho em Taiwan.
Os estudantes que ficarem entre a 5ª e a 8ª posições na Olimpíada Brasileira se juntarão ao grupo que disputará a Olimpiada Iberoamericana de Biologia, que será realizada em setembro, na Costa Rica.

No ano passado, o Brasil conquistou duas medalhas de bronze na olimpíada internacional, na cidade de Changwon, Coréia do Sul. O estudante Luis Henrique Pimentel Bennaton Usier, de 17 anos, ganhou uma das medalhas de bronze e recebeu convites para estudar na Universidade Harvard, nos Estados Unidos, e em outras instituições internacionais.
Fonte: G1

Câmara discute preconceito nas escolas brasileiras

Congresso Nacional já tem dez projetos de lei que falam sobre bullying

Nesta quarta-feira (4), a Câmara dos Deputados vai realizar uma audiência pública para debater os preconceitos e discriminações em escolas de todo o país.
Entre os convidados a debater o tema estão Claudia Werneck, superintendente da ONG Escola da Gente, sobre inclusão social e Toni Reis, presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais).
Bullying
O tema da humilhação, também conhecido como bullying, vem sendo bastante discutido no Congresso. Há pelo menos dez projetos de lei que tratam do combate ao bullying nas escolas.

Fonte: Todos pela Educação
Leia

Senado aprova projetos para manter alunos nas escolas por mais tempo

Propostas ampliam frequência exigida e carga horária mínima em escolas

Adriana Vasconcelos
BRASÍLIA. A Comissão de Educação do Senado aprovou ontem, em caráter terminativo, dois projetos de lei que deverão ampliar o tempo de permanência dos alunos nas escolas do país. O primeiro aumenta de 75% para 80% a frequência mínima exigida para a aprovação dos alunos do ensino básico.

O segundo prevê o aumento da carga horária mínima anual de 800 para 960 horas para os alunos do ensino infantil, do fundamental e do ensino médio. As duas matérias agora seguem para a apreciação da Câmara dos Deputados.
O aumento dessa carga horária anual poderá ser garantido de duas maneiras: a partir da ampliação do turno diário das escolas em 40 minutos ou com a extensão do calendário escolar entre 20 e 40 dias. Se a matéria for aprovada e sancionada ainda este ano, poderá entrar em vigor a partir de janeiro de 2013.

Fonte: Todos pela Educação
Leia

Sob polêmica, mudança no Ensino Médio vai a votação

03/05/2011

Alterações no currículo devem ser apreciadas amanhã pelo Conselho Nacional de Educação

O projeto que dá maior flexibilidade às escolas brasileiras para montarem o currículo do Ensino Médio deverá ser novamente apreciado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), amanhã. No mês passado, a votação da proposta foi adiada para permitir uma análise mais profunda dos conselheiros.

Se aprovadas, as novas diretrizes dependerão apenas da homologação do Ministério da Educação para entrarem em vigor – mas provocam divergência entre especialistas.

Hoje, a carga mínima de estudo no Ensino Médio é de 2,4 mil horas divididas em dois conjuntos de disciplinas: base comum, que inclui matérias tradicionais obrigatórias, como português e matemática, e a parte diversificada – que inclui áreas escolhidas pela escola.

Fonte:Todos pela Educação
Saiba

Enem terá só uma edição este ano

Existe a possibilidade de que o Enem venha a ser aplicado duas vezes ao ano a partir de 2012

BRASÍLIA.

O MEC bateu o martelo: este ano, só será realizada uma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), provavelmente em outubro. Nos próximos dias, o Inep divulgará edital com as regras das próximas edições. Existe a possibilidade de que o Enem venha a ser aplicado duas vezes ao ano a partir de 2012.

Criado em 2009 para substituir o vestibular nas universidades públicas e até mesmo privadas, o novo Enem virou uma pedra no sapato do ministro Fernando Haddad.

Em 2009, o vazamento das provas levou ao adiamento do exame. Em 2010, erros de impressão provocaram confusão no dia do teste e levaram a Justiça Federal a suspender o exame - decisão que acabou mudada em segunda instância.

Fonte: Todos pela Educação
Saiba Mais

Ministério estuda fim de bolsa parcial ou isenção proporcional

O ministro Fernando Haddad defendeu, nesta segunda-feira, 2, um aprimoramento da legislação do Programa Universidade para Todos (ProUni). A legislação atual prevê a isenção de impostos para as instituições que oferecem bolsas do ProUni. As mudanças seriam para que a isenção não fosse baseada apenas na oferta e sim na ocupação das vagas do ProUni, já que existem vagas ociosas.

“O programa é muito novo, tem apenas seis anos. Identificamos ajustes necessários e vamos defender essa alteração legal”, explicou Haddad. O ministro esclareceu que, com relação às bolsas parciais – aquelas que têm maior número de ociosidade no programa – há duas alternativas possíveis, que estão em estudos de forma conjunta entre o MEC e a Receita Federal: o fim dessas bolsas, passando o ProUni a oferecer apenas bolsas integrais, ou a isenção proporcional para as instituições de ensino.

Fonte: Mec
Leia

Instituição é desligada e bolsas encerradas em caso de irregularidade

Com o objetivo de garantir que as bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) sejam concedidas a estudantes que atendam os requisitos do programa e que as instituições participantes cumpram as regras exigidas, o Ministério da Educação realiza, desde 2009, um processo de supervisão específico para o ProUni.

A ação possui dois focos principais: as instituições que participam do programa e os estudantes que são atendidos com as bolsas.

A fiscalização das instituições é feita para verificar o cumprimento das regras definidas pelo ProUni, especialmente em relação à oferta de bolsas em percentual definido pela legislação para que tenham direito à isenção fiscal prevista. Nos casos em que há irregularidade na oferta, as instituições sofrem penalidades, podendo ser desvinculadas do programa ou obrigadas a oferecer, além do número regular de bolsas, um adicional de um quinto sobre o percentual obrigatório.
Fonte: Mec
Leia